Sandra Ronca conversa com a Revista Crescer

Artista desde pequena

Filha de artistas plásticos italianos, a carioca Sandra Ronca respira arte desde a infância. Quando criança, sua casa era repleta de livros e, virava e mexia, lá estava ela brincando no atelier de seus pais, com os quais frequentava museus e exposições. Na vida adulta, não deu outra: formada em publicidade e propaganda, Sandra logo se entregou à ilustração e à redação de obras infantojuvenis. De 2007 para cá ela já ilustrou 15 livros, quatro deles de autoria própria. Em ocasião de seu mais recente lançamento, O Sumiço do O, CRESCER conversou com essa apaixonada escritora e ilustradora.

CRESCER: Você é filha de artistas plásticos italianos. Como foi seu relacionamento com a arte na infância? Experimentava muito do universo artístico de seus pais?

Sandra Ronca: Muito. Nossa casa era repleta de livros de artes que meus pais sempre traziam de viagens. Constantemente, estávamos no atelier experimentando um ou outro material. Nosso lazer consistia em praias, parques, piqueniques, acampamentos, exposições e museus. Um pouco de tudo. De uma forma ou de outra, respirávamos essa atmosfera. Ao mesmo tempo, meu pai tinha um espírito muito crítico, até com ele mesmo. Talvez por isso eu não tenha pensado logo em trabalhar com arte ou mesmo com o “infantil”, como ele dizia. Hoje vejo que, por várias vezes, a ilustração acenou pra mim sem que eu percebesse. Mais tarde, essa vontade acabou se manifestando com grande intensidade.

C: Você tem uma formação muito ligada à ilustração, ingressou na literatura infantil por essa frente, mas logo já publicou o primeiro livro em que assinava também o texto. Você se considera tão escritora quanto ilustradora?

S.R.: Sempre escrevi e desenhei. Com certeza, o apelo visual foi muito determinante em minha vida. Ao mesmo tempo, era também muito tímida e me expressava através da escrita, em especial na adolescência. Depois, passei a escrever crônicas e textos para crianças. Com estas, eu me divirto, me renovo. Quando resolvi ingressar no mercado de literatura infantil, comecei pelas ilustrações, pois essas já gritavam dentro de mim. Depois, resolvi rever e apresentar meus textos. O primeiro, que foi publicado em 2008, data de 2004. Tenho vários dessa época. Sou pós-graduada em ilustração e ainda pretendo fazer uma especialização em literatura infantil. Por enquanto, procuro ler e acompanhar o que posso. Acredito que minha produção maior será sempre como ilustradora. Mas minha preferência é a comunicação com e para crianças. Seja a narrativa verbal ou visual, mas que seja boa, intensa e faça a diferença.

C: Falando especificamente de O Sumiço do O – como surgiu a ideia do livro?

S.R.: Algumas histórias surgem a partir de um elemento, uma observação. Às vezes, algo melhor começa a ganhar forma e procuro tomar nota logo para não perder o fio da meada. Não me lembro exatamente como aconteceu em O sumiço do O. Gosto de brincar com as crianças e instigá-las. Às vezes, me imagino conversando com elas. Gosto também de brincar com as palavras. Faço até sem perceber. Brincar com uma letra foi consequência. Em um instante, a letra O já estava ganhando vida!

C: Como ocorreu o processo de confecção do livro? Você começou pelo texto, pelas imagens ou trabalhou em ambos em paralelo?

S.R.: Em O Sumiço do O, o texto veio primeiro. Às vezes, antes do texto ser contratado, tenho alguma imagem em mente. Neste caso, não tinha nada esboçado. Mas sabia que poderia fazer um trabalho bacana. Na ocasião, estava com uma viagem de estudos marcada e traria novidades. Em outras ocasiões, já tive imagens que nasceram antes da narrativa verbal ou que foram desenvolvidas em paralelo. É gostoso quando tudo se encaixa, é como um abraço bem dado.

C: Você mesclou várias técnicas para confeccionar as imagens do livro. Quais foram elas e quais os motivos que a levaram a fazer essas escolhas?

S.R.: Somos o resultado de muitas vivências e aprendizados e transportamos isso para nosso trabalho. O Sumiço do O tem um pouco de cada coisa que aprendi, que observei ou experimentei. Misturei vários materiais: tinta acrílica, guache, lixa, lápis de cor, massa corrida, colagem… Sempre buscando uma textura, uma transparência, um efeito especial. Fiz uma colagem com trechos das fábulas de Esopo, ligeiramente recobertas com massa e tinta branca para que não brigassem com a leitura do texto. Trabalhei com as cores conforme o sentimento que quis passar. Nas cenas em que a mãe fala tranquila e não dá a mínima confiança ao que está acontecendo, usei tons frios, claros. Na agitação da leitura da menina, das letras que se movimentam e escapolem, usei tons mais quentes, vibrantes. No geral, o livro ganhou destaque com a mistura de laranja, amarelo e lilás. As letras em ação e com carinhas malucas? Desenhei a vida inteira!

C: Já tendo ilustrado quase uma dezena de obras de outros autores, como você define a experiência de ilustrar um texto de sua própria autoria?

S.R.: Quando gosto do texto, mergulho, entro nele, divide o espaço com o personagem, com o enredo. Essa é uma grande experiência, pois até nos identificamos com algum personagem. O fato de ser um texto meu, já quer dizer que tem uma identificação minha prévia, praticamente certa, desde o momento em que o texto é concebido. Os personagens praticamente se nomeiam, a gente já entrou no texto antes. Mariana, a protagonista de O sumiço do O, por exemplo, foi me cativando à medida que foi sendo formada, ainda na escrita. Acho que é essa a diferença. Mas nada impede que essa identificação e mergulho na obra não aconteçam com um bom texto de outro escritor.

CRESCER: Já há outros projetos a caminho?

Sim. No momento, estou ilustrando Há muitas moradas na casa do meu pai, de Flávia Côrtes,
que será publicado pela Editora CELD. Tenho três projetos meus em fase de finalização, dois ainda não contratados. Da mesma forma, duas parcerias para acontecer. E vamos em frente!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s